Sábado, 27 de Fevereiro de 2010

Joss Stone: "Os meus pais abriram-me os ouvidos"

Na altura em que voltou a Portugal para dois concertos, Joss Stone falou ao Expresso.

 

Joss Stone: 'Os meus pais abriram-me os ouvidos'
 
 
Jocelyn Eve Broker, de 22 anos, aproveitou os cinco minutos de uma música de Donna Summer num concurso de talentos da BBC e nunca mais parou. Seis anos depois, em vésperas de visitar Portugal pela quinta vez (14 e 15 de Fevereiro, nos Coliseus do Porto e de Lisboa), falou ao Expresso sobre a(s) sua(s) música(s) e o seu novo disco, "Colour Me Free".

 

Como é que uma inglesa, branca, hippie e louca por hip hop decide começar a cantar nomes cimeiros do jazz, como Nat King Cole? Não sei ao certo, acho que sempre gostei do estilo de música. É óbvio que não sou contemporânea dos mestres, nem sou do país deles, mas a música viaja pelo tempo e pelo mundo. Os meus pais sempre ouviram jazz e eu, quando era miúda, não me queixava da discografia deles...

 

Foi influenciada pelas playlists escolhidas pelos pais... Absolutamente. Abriram-me os ouvidos! Não custa muito andar por aí, com atenção, e abrir os ouvidos. Foi o que eu fiz.

 

Do primeiro trabalho de revelação, "Soul Sessions", até hoje... como se sente, o que mudou musicalmente? Detesto gravar dois álbuns iguais, tornar-me repetitiva e aborrecida não é comigo. Odeio ficar chateada e, mais importante, detesto chatear as pessoas. Tenho de criar sons novos e diferentes para não ficar aborrecida nem aborrecer os outros!

 

Esteve parada algum tempo. Há quem diga que durante esse período roubaram um espaço que era seu... Depende de quem estivermos a falar... Muitos referem Norah (Jones), mas ela apareceu antes de mim, portanto não conta; a Corinne (Bailey Rae) tem uma sonoridade diferente; a Amy (Winehouse) é, da cabeça aos pés, uma cantora de jazz.

 

Suponho que esteja ansiosa por voltar aos concertos Claro, mal posso esperar. Tenho uma digressão à porta. Nesta fase, quero estar em palco numa onda mais íntima. tirar alguns instrumentos, introduzir elementos acústicos. Vamos ensaiar e ver como nos sentimos. Gostava de trazer material da "velha escola", como 'Some kind of wonderful' (dos Grand Funk Railroad, 1964) ou 'A victim of a foolish heart' (do primeiro álbum, "Soul Sessions").

 

É a quinta vez que vem a Portugal (dias 14 e 15, nos coliseus do Porto e de Lisboa). Quais são as expectativas desta vez, dentro dessa onda mais íntima que está a sentir? O melhor que posso fazer é não esperar nada de especial. Quando era mais nova tinha um professor que me dizia sempre: "Espera o pior... e nunca ficarás desiludida".

 

No Algarve, no ano passado, cantou Bob Marley no encore. Ninguém esperava essa... Como não espero coisa alguma, deixo-me levar. e como adoro Bob Marley... Quem sabe o que vou fazer agora? Nem eu sei! Não gosto de dar concertos iguais, mudo sempre a lista de temas. Deixo o público definir o espectáculo. Se tiver um bom público, tenho um bom concerto; se tiver um público discreto... fico aborrecida.

 

A capa do novo álbum ("Colour Me Free") é muito sugestiva. parece querer libertar-se e gritar para alguém. Quem? A indústria, a sua relação com as editoras, o seu dia-a-dia? Qual é a mensagem secreta do CD? Basicamente. O problema é que as editoras não sabem o que querem, ficam confusas e baralhadas. Pensam que querem apenas música, porque é aquilo que lhes damos e com que todos ganham: música, dinheiro e fama, para ambas as partes. É aqui que está o dilema. Não devemos entrar no jogo deles, temos de tomar uma decisão enquanto artistas. O que é que queremos? Ser bom músico ou ser famoso? Claro que a fama surge com naturalidade. Mas, infelizmente. muitos artistas com enorme sucesso vivem na corda bamba nesta relação: precisam de um contrato com a editora. têm de ter um contrato. e como é que o arranjam? Vão para os tablóides e vendem-se: 'Estou aqui, explorem-me'. Enfim, são as regras do jogo... Eu fui amadurecendo e percebo tudo isto, assinei o meu primeiro contrato quando tinha 14 anos e percebi que não queria ser famosa nem milionária, gostava apenas de fazer música. Se os meus objectivos são diferentes, então preciso de coisas diferentes - não preciso de contratos só por contratos, apenas quero um orçamento e uma distribuidora. Isto é muito interessante. Conheço gente que tem talento para a música mas que só trabalha para os milhões. Se quisermos manter a integridade e assinarmos mais tarde por uma editora - continuando a fazer boa música e com vontade de a espalhar pelo mundo inteiro -, precisamos de ter primeiro um álbum. Gravamo-lo, mostramo-lo à editora e dizemos: 'Está aqui o meu álbum, querem contratar-me ou não?'. Mas também pode acontecer outra coisa: assinar o contrato antes de ter o álbum pronto. Neste caso, está-se a gravar com empresários! E empresários não são músicos, nem sequer sabem criar música. mas investem tanto nela que acabam por comprar a credibilidade deles ou o que quer que seja. Depois escolhem as músicas. começam a dizer 'não, não, não, quero esta, não quero aquela'. A nível empresarial, percebo: se eu apostasse tantos milhões no produto e não conseguisse controlá-lo também ficava lixada...Compreendo que as coisas possam ser assim, afinal é o mercado, é o negócio, mas... (suspira) não quero fazer parte disso! Basta bater o pé e descobrir aquilo que queremos. Foi isso o que fiz.

 

Esses empresários que referiu comportam-se todos da mesma forma? Alguns até são porreiros. estão lá pela paixão, como eu, e pensam: 'Não sei fazer música, mas vou ajudar a divulgá-la'. Há esses casos, mas não são eles que dão os murros na mesa, eles não têm influência. Quem decide é quem tem o dinheiro na mão.

 

Numa lista de álbuns ideais para acompanhar um serão romântico que está na Internet o seu "Soul Sessions" está muito bem referenciado. Considera-se lamechas? Com o "Soul Sessions" é fácil aplicar esse rótulo, por causa da voz. Odeio a minha voz nesse álbum... quero refazê-lo.

 

E que tal cantar fado? Adoro fado! Oh, meu Deus, é a língua mais bonita do mundo! Mas eu não a domino...

 

Fonte: Aeiou


publicado por Celebrity World às 12:49
link do post | comentar | favorito

.MENU

HI5

YOU TUBE

.BEM VINDO (A)

Bem-vindo a este blog dedicado à talentosa cantora Joss Stone. Aqui encontrarás as últimas notícias, fotos, videos e muito mais sobre a Joss. Espero que gostes do meu trabalho e volta sempre que quiseres.

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 6 seguidores

.GALERIA DE FOTOS

.pesquisar

 

.posts recentes

. Rock in Rio: Joss Stone é...

. Números milionários do Ro...

. Joss Stone faz show anima...

. Joss Stone encanta públic...

. The Gift e Joss Stone tro...

. Entrevista a Joss Stone (...

. Rock in Rio Lisboa 2012 -...

. RiR: Joss Stone, a senhor...

. Joss Stone traz muito sou...

. Joss Stone mostrou música...

.arquivos

. Junho 2012

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Agosto 2009

.E-MAIL

Se tiveres coisas da Joss Stone que queiras partilhar com outros fãs ou qualquer dúvida que tenhas podes comentar no blog ou enviar um e-mail para: ASMAISFIXES2@HOTMAIL.COM

.ELITE